Divulgação Cultural - Fundação Serra Henriques

Ir para o conteúdo

Menu principal

Divulgação Cultural

Apoio à Edição e Divulgação Cultural


A Carta de Sintra

A Fundação Serra Henriques editou e publicou a Carta de Sintra em parceria com a Associação dos Urbanistas Portuguesas e sob a coordenação científica do Professor Sidónio Pardal.
Este documento regista as conclusões do XVI Congresso Ibero-Americano de Urbanistas realizado em Sintra com o tema “Sociedade e Território: Novos Desafios”.  
Trata-se de um forte contributo e instrumento de reflexão no sentido de desenvolver e promover boas práticas no quadro do Planeamento Urbano, Ordenamento do Território, Gestão da Paisagem e do Património.



Clique aqui para download da edição online




O Rio como Elemento Urbano de António Amado

"Este estudo distinguido com o Prémio Archiprix Portugal, procura avaliar o impacto da subida do nível médio das águas nos núcleos urbanos do estuário do Tejo e transformar este cenário numa oportunidade estratégica para permitir uma importante frente de debate sobre as cidades costeiras portuguesas(...).
Como nota importante, não podemos deixar de afirmar a importância que os prémios têm no meio da Arquitectura e Urbanismo. A iniciativa da Fundação Serra Henriques em promover o Archiprix em Portugal, destinado àqueles que acabam a sua formação académica, constitui um importante estímulo. A importância dos prémios ultrapassa os efémeros contextos do presente, estimulando gerações para as quais os problemas actuais já não serão relevantes, mas que merecem acreditar que os espaços que construímos, reutilizamos e partilhamos e onde se passa a nossa vida colectiva, podem ser sempre valorizados(...)."
In prefácio de Carlos Dias Coelho, Universidade de Lisboa

Autor: António Amado
Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa
Prefácio: Professor Doutor Carlos Dias Coelho
Edição em Português e Inglês
Publicação FSH | Núcleo de Arte, Educação e Cultura
ISBN 978-989-98624-1-8




Plataforma Tejo de Pedro Ressano Garcia


Plataforma Tejo é um conceito. Inovador, propõe uma morfologia urbana passível de ser aplicada a qualquer cidade portuária que queira retomar a ligação com o rio e/ ou mar. Ultrapassa, a baixo custo, as barreiras de circulação existentes – viárias ou ferroviárias – sem as afetar, e cria um espaço público contemporâneo com diferentes possibilidades de aproveitamento – palco de grandes eventos ou jardim suspenso em plena zona industrial. Plataforma Tejo propõe uma reconfiguração sustentada deste território através da construção de um aterro, uma passagem aérea acrescentada à cidade e que, entre muitas outras valências, viabiliza o acesso ao maior museu português (Museu Nacional de Arte Antiga), criando, em simultâneo, um espaço nobre de recepção ao terminal de Cruzeiros de Turismo da Rocha de Conde de Óbidos. O projecto Plataforma Tejo será uma obra pública emblemática que permite projectar Lisboa no cenário internacional. Prémio Pancho Guedes FSH 2010. Edição em Português e Inglês.




Huddled Masses and Uncertain Shores de Bimal Ghosh

Estudo internacional sobre Direitos Humanos publicado pela Organização Internacional para as Migrações com o apoio da Fundação Serra Henriques.
Edição internacional, 2006.



Peripécias em Cabo Verde de Evelinda Ferreira

Esta coleção lúdica e pedagógica  inicia o conto infanto-juvenil de características multiculturais, incentivando ao diálogo e à prática de valores interculturais, cuja ausência provoca tensões na sociedade portuguesa contemporânea.
Edição em Português, 2010.



Maputo, cidade aberta de Fabio Vanin

Partindo do estudo das mudanças arquitectónicas visíveis na cidade de Maputo nas últimas décadas, Fabio Vanin, estudioso da realidade moçambicana, propõe uma reflexão sobre as mudanças na sociedade moderna do país nos seus vários aspectos. Prémio Pancho Guedes 2012. Edição em Português e Inglês.



Managing Migration de Bimal Ghosh

O modelo de migração internacional atual não está a responder aos novos desafios e oportunidades que os movimentos de pessoas agora apresentam. O aumento dos níveis de migração devido à globalização económica e uma crescente variedade de países de origem com consequências imprevisíveis e intensas fazem a gestão da migração cada vez mais difícil. Este estudo tem esse desafio.
Edição Oxford University Press com o apoio da OIM/FSH.



















































Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal